Controlo XXI

Carraças

As carraças pertencem à Ordem Acarina e são parasitas externos (ectoparasitas) que se cravam na pele de animais domésticos e do Homem, alimentando-se do seu sangue.

Uma carraça adulta mede entre 4 a 5 mm, têm oito pernas. O seu corpo é oval e pode ser de cor preta, cinzenta, castanha, vermelha ou cor de canela, possuindo uma protecção dura que funciona como um escudo. No entanto, o corpo da fêmea é flexível para que possa ingerir uma grande quantidade de sangue.

Uma fêmea pode depositar entre 2000 a 4000 ovos, eclodindo passadas 2 a 7 semanas. O ciclo varia de acordo com o clima, a abundância ou facilidade em encontrar um hospedeiro.

Malefícios

Após a picada da carraça, os primeiros sintomas surgem entre de 2 a 14 dias depois.

Os sintomas manifestam-se através de febre, dores musculares e de cabeça, náuseas, vómitos e perda de apetite. Tipicamente, uns dias mais tarde, aparecem manchas e pápulas que se disseminam por todo o corpo, incluindo nas palmas das mãos e plantas dos pés.

A mais conhecida das doenças referidas é a febre da carraça, que se manifesta mais frequentemente entre os meses de Abril e Setembro e é provocada por uma bactéria – a rickétsia. Para esta poder chegar ao ser humano precisa primeiro de passar por outro mamífero (normalmente cães e roedores).

Locais susceptíveis da praga

As áreas de maior risco são: jardins com ervas altas, locais de forte densidade de vegetação e com algum grau de humidade.

Cuidados a ter

  • Devem-se evitar os locais mais propícios ao seu desenvolvimento;
  • Se tem cães ou outros animais domésticos, deve sempre inspeccioná-los para verificar se têm carraças e também colocar-lhes coleiras de protecção;
  • Higiene nos locais onde estas poderão surgir;
  • Manter a vegetação aparada;

As carraças podem ser retiradas, mas tem que ter muito cuidado para que elas não deixem para trás as suas patas cravadas na pele do seu animal, pois algum fragmento da carraça pode ficar fixo ao animal, podendo causar inflamação e desconforto). Para o efeito deve-se usar uma pinça e prender a carraça o mais junto à pele possível e depois puxá-la com força sem fazer movimentos de rotação.

Caso opte por retirá-la com os dedos, use um pano e quando terminar lave muito bem as mãos. É muito importante que lave previamente o local afectado com água e sabão e, após a remoção da carraça, deve aplicar um desinfectante. É também sempre aconselhável a lavagem e desinfecção das mãos após a remoção de uma carraça.